Inicial > Diversos > ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio – Parte 1

ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio – Parte 1

Escrevo este post exatamente 1 mês antes do novo ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio, entrar em vigor.

enemmarcaEu me lembro perfeitamente do ano em que fiz a prova, o já distante 2005. Na época, em minha escola, o ENEM era motivo de piada. A grande maioria dos alunos concordavam que as questões do ENEM não tinham, nem de longe, um nível de dificuldade semelhante aos grandes vestibulares. Fazer uma pontuação alta no ENEM não era motivo de orgulho, mas sim uma obrigação. Aliás, a grande maioria apenas prestava o exame para conseguir alguns míseros pontos extras (mas que poderiam fazer diferença) nos grandes vestibulares ou para conseguir uma bolsa no ProUni.

O intuito deste post não é o de ofender ninguém. Com certeza existem pessoas que realmente desejam (e precisam) fazer uma boa pontuação nesse exame, seja para conseguir uma bolsa do ProUni ou algum outro motivo, mas acabam não obtendo um resultado satisfatório. Este, por sua vez, é fruto da péssima qualidade no ensino do país (especialmente nas escolas públicas). Coisas que qualquer brasileiro já está cansado de saber. Porém, não posso deixar de comentar como esse exame proposto pelo governo é falho.

As questões eram basicamente de interpretação de texto. Não tenho nada contra questões desse tipo, pelo contrário, acredito que elas devam ser obrigatórias em todo tipo de exame. Contudo, fazer uma avaliação em que mais de 90% das questões podem ser respondidas pela simples interpretação do texto ali apresentado, não requirindo nenhum conhecimento adicional, me parece um tanto ineficaz. E os alunos (sejam eles de escolas públicas ou particulares) que, com todas as dificuldades, realmente se esforçaram para aprender os conteúdos do ensino médio? Estes são simplesmente descartados no ENEM, fazendo com que venham a ter uma pontuação praticamente idêntica ao de um aluno que não estudou absolutamente nada nos últimos 3 anos de sua vida.

A prova exigia pouquíssimos conhecimentos prévios. Destes, eu diria que TODOS são aprendidos numa boa escola do ensino fundamental. Para exemplificar, vamos pegar a matemática. No meu ano (2005) a questão mais difícil relacionada à essa matéria era uma em que se precisava resolver uma simples equação de segundo grau… Eu já sou da época em que equações de segundo grau eram ensinadas na oitava série do ensino fundamental. Voltando mais uma ou duas gerações, acabei descobrindo que equações de segundo grau eram ensinadas na sétima série! E, com aquela prova do ENEM, o máximo de conhecimento matemático que eles exigiram dos estudantes DE ENSINO MÉDIO foi a mesma equação do segundo grau apresentada na oitava série!!! Ao meu ver, é como se o governo admitisse descaradamente que o ensino médio do país não presta.

A redação então… Eu me lembro que, na prova de redação da Unicamp (uma prova em que nunca vi nenhum professor de português reclamar de sua correção, por isso a estou utilizando como exemplo), eu fiz 55 dos 60 pontos possíveis. Me orgulhei bastante da nota. Levei pouco menos de 2 horas para redigí-la e passá-la à limpo. Já no ENEM, terminei a redação em cerca de 15 minutos. Eu a redigi diretamente na folha definitiva, não fiz nenhum rascunho. E, mesmo assim, consegui tirar uma pontuação absurdamente alta. Não me lembro ao certo, mas haviam vários parâmetros de avaliação, como norma culta, coerência com o tema proposto… Eu tirei a pontuação máxima em todas as categorias, com exceção de uma delas. Colocando em termos de porcentagem, eu obtive mais de 95% da nota. Tudo bem que a redação não estava ruim, mas também não estava boa como aquela que tinha feito na Unicamp. Acho que, durante a prova do ENEM, fiquei tão chateado com as questões que nem levei a sério a redação. Mesmo assim, consegui essa pontuação altíssima. Se eu tivesse escrito essa mesma redação nos grandes vestibulares, minha pontuação não chegaria nem a 50% da nota, com certeza.

Resumindo. eu saí da prova simplesmente envergonhado com o nível de dificuldade das questões (para uma prova de ensino médio). Elas poderiam perfeitamente serem aplicadas em um “ENEF” (Exame Nacional do Ensino Fundamental).

A prova também não era bem formulada. No meu ano, lembro que houve pelo menos 2 questões que não estavam bem escritas e permitiam mais de uma resposta correta…

Desejo, sinceramente, que o novo ENEM venha a aumentar o nível de dificuldade das questões. Não desejo nada absurdo, mas que sejam questões dignas. Aí sim, teremos um exame que poderá ser usado para avaliar melhor as escolas, e seus respectivos estudantes, do ensino médio.

Daqui à um mês, quando o novo formato da prova for finalmente aplicado, voltarei a escrever sobre o ENEM. Espero que as minhas previsões de um exame mais digno se concretizem.

E você, concorda ou discorda das minhas opiniões? Participem! Postem seus pensamentos nos comentários!!!

Anúncios
Categorias:Diversos
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: